Lady

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Predadora


Um comentário:

Anônimo disse...

Ah! se esse poema fosse para mim te daria o amor mais puro que reside aqui dentro, aquele nunca experimentado e que fermenta cada dia mais.
Dono dos meus devaneios tu és.