sexta-feira, 17 de junho de 2016

Inusitada musa !

INUSITADA MUSA


Ela surgiu do nada, como uma estrela cadente,
sorrindo majestosa, se quedou à minha frente
e, me suscitando algo tão divino e  irreverente,
por magia, se eclipsou, como se não fosse gente!

Porém, na minha memória deixou a alquimia
da sulfurosa inspiração que em mim efervesceu
tão insolente para escrever o poema, que um dia,
se Deus quiser, nele contar o que aconteceu !

A doce musa da madrugada se foi como veio:
glamorosa como uma imperatriz dos sentidos,
mas ainda tive tempo de depositar no seu seio

o perfume de um beijo e dos desejos proibidos,
para que jamais esqueça o pobre poeta alheio
a quem desejou sorte com recatados pruridos !


Lud MacMartinson
LMMP
Luxemburgo, 17-06-2016