domingo, 24 de julho de 2016

Vital Resiliência !

VITAL RESILIÊNCIA


Há mais de uma década que ando perdido
pelos ilusórios meandros do mundo virtual,
à procura um amor sublime, mas proibido,
que consuma esta insanidade sentimental !

Por centenas de mulheres eu me encantei
e, me iludindo, em versos imortalizei o amor
que fui sentindo, mas, quando me apaixonei,
quase morri de pânico, tão ingente foi a dor !

Hoje, já admito que esta demanda frenética
possa me levar à loucura esta ilusão patética,
tão vazio me deixa, quando a tumescência

no desespero e na frustração se consome !
No ápice em que a deiscência mata a fome,
no coração nasce a dúvida da vital resiliência !


Lud MacMartinson
LMMP

Luxemburgo, 24-07-2016

Um comentário:

Anônimo disse...

Poema do fanático

Não bebo álcool, não tomo ópio nem éter,
Sou o embriagado de ti e por ti.
Mil dedos me apontam na rua:
Eis o homem que é fanático por uma mulher.
Tua ternura e tua crueldade são iguais diante de mim
Porque eu amo tudo o que vem de ti.
Amo-te na tua miséria e na tua glória
E te amaria mais ainda se sofresses muito mais.
Caíste em fogo na minha vida de rebelado.
Sou insensível ao tempo - porque tu existes.
Eu sou fanático da tua pessoa,
Da tua graça, do teu espírito, do aparelhamento da tua vida.
Eu quisera formar uma unidade contigo
E me extinguir violentamente contigo na febre da minha, da tua, da nossa poesia.

Murilo Mendes