sábado, 12 de julho de 2008

É nas outras, meu Amor !























É nas outras que melhor te encontro
e em ti, vendo as outras, me perco
nos fantasmas que me deixam tonto
e à razão volúvel e cega fazem o cerco

É nas teias da libertinagem virtual
que o meu amor por ti vou testando
e, soltando as bridas ao desejo animal,
na tua alma a minha vou enredando

É nas outras que me refugio e renasço
quando o tesão desfalece moribundo
e, da sofreguidão se libertando, faço
o amor ecoar num suspiro gembundo

para melhor me impregnar no abraço
que faz de mim o rei do mundo
quando nas tuas entranhas sou devasso
e deixo a libido se afogar bem fundo

É nas outras que eu mais te admiro,
quando o meu corpo, de febre queimando,
da saudade faz o doce e cálido retiro
onde a a felicidade vai se regenerando

Não sei se um dia te amar poderei
sem na sensualidade das outras pensar,
até porque do amor reconheço a lei
que o meu coração queira aprisionar

Nasci livre e assim viverei e morrerei
mesmo que me lancem na prisão
ou me façam o opóbrio da grei
por inveja, vingança ou maldição

porque ninguém jamais conseguirá impôr
um rumo ou dar uma ordem ao coração
fonte da genése e da essência do amor
que dá vida, alegria e cor a esta paixão...


LUD
MacMartinson

Um comentário:

Maria disse...

Seus poemas e sua pagina como um todo sao lindos.... vejo-os reproduzido em muitos outros blogs... só acho uma pena que não te dem o devido credito.... só descobri que eram suas depois que comeceia colocar no Google e cheguei até sua pagina......